sábado, 26 de fevereiro de 2011

A propósito de Artur Loureiro

Artur Loureiro, Em Repouso ou Descanso da Artista (1882, Museu do Chiado, Lisboa).
---
Este quadro de Artur Loureiro (1853-1932) interessa-me por vários motivos. Pela beleza, serenidade, e naturalismo. Mas também pela figura de mulher, vestida de negro, retratada de perfil, num espaço exterior. Ela estaria a pintar e interrompeu o que fazia, estando a observar o trabalho que fez, que está no chão, à sua frente.
A mulher retratada era uma australiana, Marie Huybers, com quem Loureiro veio a casar e teve dois filhos, um rapaz e uma rapariga. Nesta altura, Loureiro estava a viver em Paris como bolseiro em pintura de paisagem, tendo exposto no Salon parisiense de 1880 a 1882.
Em 1884, Loureiro foi viver para a Austrália com a mulher. Foi membro da Australian Art Association e professor de Design no Presbyterian Ladies' College. Em 1899 recebeu uma medalha de ouro em Londres e, em 1900, uma medalha de 3.ª classe em Paris. Segundo Suzanne G. Mellor: «His work was known for its broad, free handling and fresh out-of-doors feeling», características que já se observam plenamente neste Em Repouso.
No ano de 1901, regressou ao Porto.

Algumas das suas obras pertencem à National Gallery of Victoria, entre elas esta belíssima pintura intitulada The seamstress's reverie (1887).


No Museu Nacional de Soares dos Reis (Porto) está patente uma exposição sobre este artista, até 24 de Abril, a qual (infelizmente) ainda não tive a oportunidade de visitar.

As informações biográficas sobre Artur Loureiro foram retiradas dos sites da Universidade do Porto e do Australian Dictionnary of Biography.

5 comentários:

Sara disse...

Não conhecia, mas depois de ver as pinturas e ler o texto da Margarida, já concluí que é uma grande falha da minha parte.

Obrigada por esta apresentação.
Uma excelente semana!

ana disse...

Margarida,
Gostei muito das duas telas e da história que contou. Já tinha visto o primeiro quadro no Museu do Chiado.

Já há um certo tempo que não vou ao Porto, julgo que devo ponderar a possibilidade de ir até ao Museu Soares dos Reis. (O problema é o tempo, foge tão rápido).
Bjs :)

Margarida Elias disse...

Ana e Sara: Ele é um excelente pintor, muito esquecido. Bj!

Presépio no Canal disse...

Nao conhecia este pintor.Tenho gostado muito do que tens apresentado aqui. Obrigada :-)
Bjs!

M disse...

Não conhecia este pintor também. Uau! Fiquei muito impressionante. Antes de ler sua apresentação, pudia perceber que ele viveu em Paris e tinha contato com os artistas franceses. Parece que o "out-of-doors feeling" foi influenciado pelas Impressionistas.

Gostei muito!