terça-feira, 29 de janeiro de 2013

O que eu gosto de Portugal

Devido a um post da Ana, no (In)Cultura, escrevi sobre aquilo que me faz triste em Portugal. Contudo, senti alguns remorsos, porque obviamente há coisas em Portugal de que eu gosto e que não conheço em mais lado nenhum do mundo. Entre outras coisas, deixo aqui alguns exemplos:

I - Não aprecio o fado, mas há alguns fados de que gosto bastante. Gosto do som da guitarra portuguesa - é lindíssimo - e gosto do fado de Coimbra. Dos fados de Lisboa, os meus preferidos são o do Embuçado e o Senhor Vinho.

II - Gosto das nossas pastelarias. Lá fora quase não há cafetarias e os sítios onde vendem pão não vendem bolos ou os bolos são gigantes. Em Lisboa e em algumas cidades portuguesas, há fantásticas pastelarias como a Versalhes. Em Sintra encontro o meu bolo favorito: os travesseiros da Piriquita. Adoro os nossos doces de ovos ou de amêndoa: pastéis de Lavos, queijadas de Sintra, nozes caramelizadas, ovos de Aveiro, trouxas de ovos, Dom Rodrigos, queijos de amêndoa, ... E o café!!! E para não esquecer os licores, nomeadamente a ginginha de Óbidos e sobretudo do Ibn Errik
(Link)

III - Gosto muito do nosso património, quer das nossas Igrejas, belas e silenciosas; dos nossos castelos; dos vestígios de outros tempos (Odrinhas, Milreu, Zambujal, etc...) e das casas: as casas tradicionais, os palácios, a Lisboa pombalina, os azulejos, as portas, as janelas, as ruas estreitas de Alfama, ou até as desprezadas casas eclécticas e revivalistas do século XIX e início do século XX.
(Link)

IV - Há artistas portugueses que acho muito bons e que são pouco notados no estrangeiro, com muita injustiça (creio eu): escritores como Eça de Queirós; poetas como Fernando Pessoa; pintores como Amadeu, são meros exemplos.
(Link)

V - A simplicidade dos portugueses, apesar de tudo, que faz com que, tristes ou contentes, tenham uma tendência natural para serem hospitaleiros e ajudar os outros. Andamos agora mais desconfiados, o que é pena. Mas ainda temos sentido de família, o que eu muito aprecio. Para o bem e para o mal, somos um povo pacífico e bastante unido.
(Panorama, n.º 9, Ano I, 1942)

VI - Os lugares mágicos. Sei que há outros por esse mundo fora, mas há alguns em Portugal que são especiais para mim: Sintra, Óbidos, Monsaraz e Monsanto, entre tantos outros.
(Link)

VII - O nosso artesanato e as nossas tradições: o Pão por Deus, a louça alentejana, as faianças das Caldas, as mantas alentejanas, os trajes do Minho, as filigranas do Minho, os cantares tradicionais, os lenços de namorados, as festas populares dos Santos, são apenas alguns exemplos.

(Link)

O que eu tenho mais pena é que muitas vezes este Portugal que eu gosto ande esquecido, ou quase abandonado e em risco de desaparecer.

Por fim, e acima de tudo, gosto da minha família e dos meus amigos.

6 comentários:

Presépio no Canal disse...

BRAVO para este post! Referiste tanta coisa boa! Acrescento o queijo fresco, o café, a aguardente de medronho, as mobílias alentejanas, os vinhos alentejanos, o vinho Alvarinho, a poesia do Eugénio, do Ary, da Sophia, a prosa do Vergílio Ferreira, e a paisagem tão diversificada, o pão, os Travesseiros de Sintra, os Beija-me depressa,...

Quanto ao teu comentário no blogue da Ana, foi uma análise muito pertinente. Creio que todos concordaram com o que disseste. Enquanto te lia, só pensava: "Isto é tão verdade..."

Bjs!

Presépio no Canal disse...

Sorry. Vi que referiste o café e os Travesseiros. Que saudades!
Lamento muito o desprezo a que tem sido votado o nosso património edificado. Lisboa, então, nas Avenidas Novas e no Saldanha é de bradar aos céus...

APS disse...

Gostei muito deste seu poste, Margarida. O patriotismo, na sua forma mais pura, pode passar, como aqui, pelo afecto, pela sensibilidade e atenção às nossas coisas - é o que penso.

Margarida Elias disse...

Sandra: Também pensei nas mobílias alentejanas e nas castanhas assadas ... Temos muitas coisas boas! :)

APS: Creio que o patriotismo é feito mesmo destes afectos. Obrigada!

ana disse...

Margarida,
Gostei muito deste post. Além de belo e sensível mostra como temos tanta coisa boa. Bravo, aproveito a palavra da Sandra.
Tudo começou com o comentário dela e congratulo-me com os resultados. :)
Beijinho.

Margarida Elias disse...

Ainda bem Ana!! Bjns :))