domingo, 8 de setembro de 2013

Alguns leques

Diego Velasquez, Lady with a fan (c. 1635, Wallace Collection - London - Link)
-
Katsushika Hokusai, Five fans (Link)
-
James Tissot, The fan (c. 1875, Wadsworth Atheneum - Hartford, CT - Link)
-
Mary Cassatt, Woman with a Pearl Necklace in a Loge (1879 - Link)
-
Enrique Casanova, Pombos num camarote (1890, Palácio Nacional da Ajuda - Link)
-
Laura Sauvinet, Retrato de senhora (1892, Museu de José Malhoa - Link)
-
Leque (Museu de Alberto Sampaio - Link)
-
Maria Augusta Bordalo Pinheiro, Leque com decoração de flores (Museu do Chiado - Link)
-
Manuel Jardim, A mão e o leque (Museu Nacional Machado de Castro - Link)
-
Paul Gauguin, Girl with a fan (1902, Museum Folkwang - Essen - Link)
---
Linguagem dos leques (Link)

- Colocar o leque junto ao coração: conquistou meu amor.
- Colocar o leque fechado junto ao olho direito: quando posso vê-lo de novo? A que horas, é respondido pelo número de varetas.
- Tocar com a mão no leque ao abaná-lo: o meu desejo era estar sempre junto de ti.
- Acariciar o leque fechado: não seja tão imprudente.
- Tocar com o leque meio aberto nos lábios: pode me beijar
- Unir as mãos debaixo do leque aberto: não traia nosso segredo.
- Esconder os olhos atrás do leque aberto: amo-o
- Fechar muito devagar o leque: prometo casar consigo.
- Passar o leque pelos olhos: peço desculpas.
- Tocar a extremidade do leque com o dedo: quero falar consigo
- Tocar o leque na face direita: sim.
- Tocar o leque na face esquerda: não.
- Fechar e abrir o leque várias vezes: você é cruel.
- Deixar cair o leque: nós vamos ser amigos.
- Abanar o leque muito devagar: sou casada.
- Abanar o leque muito depressa: estou comprometida.
- Levar o cabo do leque aos lábios: beije-me.
- Abrir todo o leque: espere por mim.
- Colocar o leque na cabeça: não se esqueça de mim.
- Fazer o mesmo movimento com o leque, estendendo o polegar: adeus.
- Segurar o leque na mão direita e em frente à face: siga-me.
- Segurar o leque na mão esquerda e em frente à face: estou desejosa de o conhecer.
- Colocar o leque junto da orelha esquerda: quero ver-me livre de si.
- Passar o leque pela testa: você mudou.
- Rodar o leque com a mão esquerda: estamos a ser observados.
- Rodar o leque com a mão direita: amo outro.
- Segurar o leque na mão direita: você está sendo muito precipitado.

3 comentários:

Isabel disse...

Gostei imenso deste post!
Gostei das pinturas e de saber a linguagem dos leques. Interessante. Sabia que existia, mas desconhecia cada sinal.
Hoje em dia já não passo sem o leque. Das primeiras vezes que o usei, principalmente nas salas de reuniões abafadas e quentíssimas, sentia-me um pouco envergonhada. Já lá vão uns quatro ou cinco anos. Hoje, é um objecto comum nas reuniões. E eu uso-o em todo o lado. Gosto muito do objecto em si. Há leques lindíssimos.

Bem, claro que não vou fixar a linguagem dos leques, senão lá se ia o prazer do usar!

Um bom domingo para si!

Margarida Elias disse...

Isabel: Também acho que é um objecto interessante - alguns são verdadeiras obras de arte. Também vou usando de vez em quando porque aliviam bastante do calor. Um bom domingo!

Presépio no Canal disse...

Adoro leques e os que mostras aqui são muito bonitos. Tinha curiosidade em saber a linguagem dos leques e finalmente aprendi alguma coisa a respeito, agora, com este post. Obrigada!
Bjns!