domingo, 29 de junho de 2014

Sabugueiros

No blogue Nordic Thoughts descobri estas pinturas de Hans Andersen Brendekilde, um pintor que não conhecia.



As pinturas surgem a propósito dos sabugueiros e de uma história de Hans Christian Andersen, Hyldemor - The Elder-Tree Mother (1845).

Arthur Szyk, The Elder-Tree Mother

No mesmo blogue, conta-se que a Mãe Sabugueiro é considerada como a guardiã destas árvores e, em muitas partes da Escandinávia, só se podia cortar madeira de um sabugueiro com o consentimento da "Mãe", caso contrário, o lenhador ficaria sem sorte. O lenhador teria de dizer: «Old girl, give me some of thy wood and I will give thee some of mine when I grow into a tree».
Desconheço se existe alguma tradição em Portugal relativa a estas árvores e arbustos, mas tenho estado ultimamente a cruzar-me muito com elas. Num outro blogue da minha preferência, Moonlight and Hares, também se falou recentemente das flores do sabugueiro, que são usadas para fazer uma bebida (cordial). Ontem descobri no IKEA um sumo de flores de sabugueiro, de sabor muito agradável.
Por fim, no "Harry Potter" a varinha mágica mais poderosa (elder wand) era feita de sabugueiro e era um dos Deathly Hollows. Fora oferecida pela Morte, como prémio, ao irmão mais velho do conto dos três irmãos (The Tales of Beedle the Bard) e era também a varinha de Dumbledore.

2 comentários:

ana disse...

Tão bonito este registo.
Não sabia que havia sumo de sabugueiro.
Beijinho.:))

Margarida Elias disse...

E vi ontem que há também compota feita com as bagas do sabugueiro. Beijinhos!