quarta-feira, 2 de novembro de 2016

No dia 2 de Novembro...

...Lembro os meus avós e a minha Tia Avó - que seguem aqui por ordem cronológica de nascimento.
-
A Tia Alda, nascida em Fevereiro de 1898. Era irmã da minha avó e vivia com ela, pelo que passei a minha infância muito tempo com ela.
 
 
Fotografia tirada pela minha mãe em 1974.
 
-
Ganhou a 3ª menção honrosa no Concurso Literário de “Conclusões e Respostas” da Revista Modas & Bordados, com a “ Novela…quasi- trágica” , tendo assinado com o pseudónimo “Tojos e rosmaninhos”. Publicada em de Junho de 1941.
Ganhou o 1º Premio do “ Conto de Natal”, no Concurso Literário de "Conclusões e Respostas" da Revista Modas & Bordados, publicado em 22 de Dezembro de 1943, intitulado “A história da avozinha”.
O conto romântico “ Casamento e mortalha no Céu se Talha” foi premiado no Concurso Literário de "Conclusões e Respostas" da Revista “ Modas & Bordados” e publicado em Junho de 1943.
-
O meu avô João, nascido no Ribatejo, em Dezembro de 1901.
 
Novembro de 1943 - In Três Gerações.
 
Fotografia tirada pela minha mãe em 1978.
 
 
O meu avô, João de Almeida Júnior, dirigiu uma editora denominada «Edições Excelsior», tendo publicado importantes livros sobre arte portuguesa e literatura.
1946 - João Barreira, Arte Portuguesa.
1946 - Aquilino Ribeiro, Camões e o Frade da Ilha dos Amores.
1951- João Barreira (Direcção), Arte Portuguesa: As Artes Decorativas.
1951 - João Couto, Aspectos Actuais do Problema do Tratamento de Pinturas.
1951 - Diogo de Macedo, Cadernos de Arte.
1952 - Diogo de Macedo, Francisco Metrass e António José Patrício.
1961 - Jorge Segurado, Francisco d'Olanda.
1961 - Ernesto Soares, A Ilustração do Livro (Séculos XV a XIX).
c. 1970 - Jorge Segurado (Direcção), Lisboa no Passado e no Presente.
-
A minha avó Fernanda, nascida em Lisboa, em Setembro de 1905.
 
 
1987
 
Pintura de Fernanda Matos e Silva, Quinta do Alperce (1939)

Fernanda Noémia de Mattos e Silva, pintora, escritora e cantora lírica.
Estudou pintura com Raquel Roque Gameiro. Participou em diversas exposições de pintura na Sociedade Nacional de Belas Artes, tendo ganho menções honrosas.
-
O Avô José, nascido em Maio de 1920
 
 
Natural do Alentejo, foi funcionário das Finanças, foi também poeta e escreveu para o jornal do Fundão, sob o pseudónimo de Pad'Paula.
-
A Avó Matilde, nascida em Setembro de 1922 (?)
 

 
Natural do Redondo, foi professora primária e do antigo Ciclo Preparatório, tendo dado aulas de francês na Escola Nuno Gonçalves, em Lisboa.


8 comentários:

Paula Lima disse...

Bom dia
Adorei ler estas memórias. Tenho tantas fotos do género da primeira lá por casa. Algumas em que nem sequer consigo identificar quem é quem, perdido na memória dos tempos dos mais velhos!
Mas é bom relembrá-las e revê-las!

Presépio no Canal disse...

Uma bonita homenagem, Margarida!

Gostei muito particularmente das fotografias antigas.

Beijinhos!

Margarida Elias disse...

Paula - Gosto muito de fotografias antigas e tenho boas memórias dos meus avós :-) Beijinhos!

Margarida Elias disse...

Sandra - Obrigada e beijinhos! :-)

Mister Vertigo disse...

Uma verdadeira viagem poética pelas memórias de uma família, atrevo-me a dizer que estamos perante um belo romance literário, que nos comove, ao ver o carinho com que este post foi feito. Pessoalmente acredito que são as memórias, e muito em especial as familiares, que nos preenchem esses belos momentos conhecidos como a passagem das horas.
Boa noite.

Margarida Elias disse...

Mister Vertigo - Concordo consigo. Bom dia! :-)

LuisY disse...

É importante ir colecionando as nossas memórias familiares aqui e ali, juntando histórias que ainda correm na família, com fotografias antigas. Daqui a uns anos, morrem os mais velhos, as fotografias ficam por identificar e o tempo rapidamente apaga tudo. Neste caso, há sempre o factor interessante das mulheres artistas e literatas de que se sabe tão pouco. Traçar a biografia das pessoas mais comuns pode ser tão ou mais interessante que estudo das personalidades de excepção. No fundo, através das primeiras consegue-se um retrato mais verdadeiro da sociedade.

As Edições Excelsior são conhecidíssimas e na altura publicaram textos fundamentais sobre arte e história.

Bjos

Margarida Elias disse...

LuisY - Obrigada pelo comentário. Gosto muito dos meus avós e de guardar coisas (memórias) antigas deles. Os livros das Edições Excelsior são lindíssimos. Bom dia!