quarta-feira, 22 de março de 2017

Etimologias IV

Detalhe da pintura de Bertha Wegmann, Portrait of Jeanne Bauck (1881, National Museum, Stockholm)
-
«Chamamos assim à mão (manus) porque está aos serviço (munus) de todo o corpo: ela leva o alimento à boca, ela realiza todos os trabalhos e os regula; por ela recebemos e por ela damos. (...) O nome de direita deriva de dar: por ela se dá a prenda da paz; ela se oferece em testemunho de fidelidade e de saúde (...). Por outro lado, a esquerda* (sinextra) se denomina assim como se disséssemos "sem direita", ou talvez porque permite fazer as coisas, em cujo caso sinistra derivaria de sinere (permitir). (...) [A] palma recebe o seu nome das ramas estendidas da "palmeira". A denominação dos dedos (digiti) se explica porque são dez (decem), ou porque coexistem unidos em perfeita conjunção (decenter): encerram em si um número perfeito e a mais harmoniosa ordem.»
-
Santo Isidoro de Sevilha, Etimologias (XI, 66-70), Madrid, La Editorial Católica, 1983, p. 25.
* Segundo o Pequeno Dicionário da Língua Portuguesa, de Cândido de Figueiredo (Livraria Bertrand, 1981, p. 592), a palavra esquerda vem de "ezquer"(vasconço).
-
Bertha Wegmann, Portrait of Jeanne Bauck

2 comentários:

Paula Lima disse...

Bom dia! As mãos são realmente fascinantes! Em dúvida, é por elas que podemos também avaliar a verdadeira idade das pessoas!

Margarida Elias disse...

Paula Lima - Tem razão - não me tinha lembrado disso. O Poirot diz que avalia a idade das mulheres também pelos joelhos, mas não sei se é verdade. Bom dia!