terça-feira, 19 de junho de 2018

Palavras I

Ben Vautier, Écrire c'est peindre des mots... (2009)
-
As Palavras

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?
-
Eugénio de Andrade, Antologia Breve, 1972.
Cf. Pensador.

2 comentários:

maria franco disse...

Este poema de Eugénio de Andrade é lindo!
Boa noite.

Margarida Elias disse...

Maria Franco - Descobri-o num manual de português do meu filho :-) Bom dia!