quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

No dia do chá

Conta uma lenda chinesa (que li ou ouvi há pouco tempo, mas não sei onde) que foi Shennong, um imperador da China, que terá inventado a agricultura e a medicina, que também descobriu o chá, cerca de 2737 a.C. A descoberta ter-se-á dado quando bebia uma chávena de água fervida e umas folhas de uma árvore próxima voram até à sua água, mudando-lhe a sua cor. O imperador deu um golo e ficou agradavelmente surpreendido com a bebida (cf. Wikipedia).
-
 
Arita (Japão), Taça de chá (Período Edo, 1630-1650)
-
Toyota Hokkei, Tea things 
-
Serviço de chá (1830-1840, MNAA, Lisboa)
-
Mary Cassatt, The cup of tea (1879, Leeds Art Gallery, Leeds)
-
Elin Kleopatra Danielson-Gambogi, Sisters (1891)
-
Adriano de Sousa Lopes, Cesto de uvas (Museu do Chiado - MNAC, Lisboa)
-
Eduardo Viana, Interior - Serviço de chá e torradas (1914?, MNSR, Porto)
-
Samuel Peploe, Blue and white teapot (1917)
-
-
Dinah Fried, «Alice in Wonderland», in Fictious Dishes
-
Mais do mesmo in «E o chá» (7 de Fevereiro de 2014)

6 comentários:

Paula Lima disse...

BOm dia!
O chá apela à delicadeza, bem patente nestas imagens.
Uma chávena para nos aquecer, por favor, neste dia frio de Outono! :-)

Margarida Elias disse...

Paula Lima - Com o frio, o chá quente sabe muito bem. Bom dia!

Mister Vertigo disse...

Este viagem que nos oferece pelo chá na pintura revela-se um verdadeiro convite a saborear-se um chá com essa delicadeza, que por vezes se encontra em certos salões de chá, onde a tradição ainda perdura.
Boa tarde-

Presépio no Canal disse...

Gostei imenso do quadro do Eduardo Viana.
E para um chá, estou sempre pronta. ;-)
Beijinhos e bom fim-de-semana!

Margarida Elias disse...

Sandra - Também gosto muito de chá - e da obra do Eduardo Viana. Beijinhos!

MR disse...

Um lindo post sobre o chá.
Boa tarde!