terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Interiores

 Leonard Campbell Taylor, Looking into the pantry.
.
Artur Loureiro, Cena de interior com menina (1911).
---
Duas pinturas diferentes e semelhantes. 
Leonard Campbell Taylor (1874-1969) apresenta-nos um longo corredor, quase centralizado, que desemboca numa cozinha (do lado direito). Junto da cozinha está uma porta aberta. Vemos duas figuras, uma das quais é uma mulher que enfrenta o pintor (ou espectador). 
Artur Loureiro (1853-1932) apresenta um corredor mais curto, que desemboca também numa cozinha (ou assim parece). A perspectiva é descentralizada e do lado esquerdo vemos uma menina embrulhada num xaile, mas que não nos olha: está remetida para os seus pensamentos.
O que me intriga é o porquê destes quadros. Há jogos de luz evidentes, que são explorados por ambos os artistas. Há ainda uma exploração da perspectiva longa do corredor - no quadro de Loureiro é acentuada pelas tábuas de madeira. 
No primeiro quadro, há uma figura escura (masculina?) que está no ponto de fuga, assim como uma janela por onde entra muita luz, mas o seu papel é secundarizado pela mulher de vermelho junto da porta. Nós estamos a olhar para a cozinha, mas é essa mulher que nos devolve o olhar. 
No quadro de Loureiro o ponto de fuga está na cozinha, onde a luz entra por uma janela. Mas o nosso olhar alterna entre esse foco de atenção e a menina, cuja veste escura contrasta com a parede branca. 
Se no primeiro caso temos um jogo de olhares e de perspectivas, no segundo temos um quadro intimista, convidando à introspecção.


10 comentários:

LUIS BARATA disse...

Duas belas cenas de interiores, complementadas pelo olhar arguto da Margarida.
Fiquei mais preso na expressão do rosto da menina de Loureiro.

Margarida Elias disse...

É verdade, ela chama mesmo a atenção.

ana disse...

Subblinho as palavras do Luís!
Bjs, Margarida!

Margarida Elias disse...

Ana: Obrigada! Bj!

Sara disse...

Belo exercício, Margarida. Apreciei muito as pinturas e a sua análise complexificou muito esta postagem. Para uma leiga, isto é pura aprendizagem :)

Margarida Elias disse...

Sara: Obrigada! Bj!

M disse...

Margarida, obrigada pelo seu comentário no meu blog!

Fico feliz ao conhecer uma outra historiadora da arte no internet! Vou seguir seu blog com muito interesse. Sou americana, mas eu morava no Brasil alguns anos atrás (na verdade, eu escrevei meu tése a respeito de uma artista brasileira, "O Aleijadinho"). Faz muito tempo que eu nao falo (nem leio) em portugues, e estou animada de praticar mais através seu blog. (Dizendo isto, desculpa a minha gramatica!)

Estes quadros me lembram da arte do Vermeer (e os outros pintores dos interiores holandeses na epoca barroca). Os primeiros planos levantados de Taylor e Loureiro me lembram (um pouquinho) dos quadros The Music Lesson de Vermeer e The Linen Closet de Pieter de Hooch.

Margarida Elias disse...

M: Que engraçada coincidência! Fala muito bem português.
É verdade, estas pinturas fazem lembrar as da pintura holandesa. Não tinha pensado nisso.
Eu gosto imenso do seu blogue e sigo-o com muito interesse.

Presépio no Canal disse...

Margarida, gostei muito da tua analise. Foi como viajar atraves dos quadros.Gosto muito de pinturas de interiores e tambem me lembrei de Vermeer.
Beijinhos!!

Margarida Elias disse...

Sandra: Fazem lembrar Vermeer de facto. Bj!