terça-feira, 22 de março de 2011

Dia Mundial da Água

John Brett, Britannia's Realm  (1880, Tate Gallery, Londres).
---
«(...) A água, matando a sede e satisfazendo as muitas necessidades quotidianas, apresenta gratas utilidades porque é gratuita.
Por este motivo, os que exercem sacerdócios segundo os ritos dos egípcios mostram que todas as coisas se baseiam no poder do elemento líquido. Daí que, quando a água é levada numa hydria ao templo e ao santuário com puro sentimento religioso, eles se prostrem em terra e, erguidas as mãos para o céu, dêem graças à liberalidade divina por esta acção criadora.
Como, pois, foi considerado, quer pelo físicos, quer pelos filósofos, quer pelos sacerdotes que todas as coisas subsistem pela força da água, (...) julguei que seria oportuno (aqui) tratar (...) da água».
---
Vitrúvio,
citado por Cátia Mourão (2008).

4 comentários:

Presépio no Canal disse...

Belissima pintura! :-)
Gosto muito do azul do mar e de barcos!
Bjs!

ana disse...

Margarida,
Este hino a um dos quatro elementos: a Água - fonte de vida - é precioso quer pelo texto quer pelo mar que tanto dá como tira.
Muito interessante!
Bjs. :)

M disse...

Que quadro lindo! Gosto muito. Nao conheco muito sobre as pinturas de John Brett, além de uma outra pintura: The Stonebreaker.

Margarida Elias disse...

Sandra: Ando a descobrir este pintor e estou a gostar bastante. Também aprecio muito estas imagens de marinhas. São muito belas e relaxantes. Bj!

Ana: Também me lembrei dessa ideia do mar. Na verdade acho que a água (como é óbvio) é essencial à vida, razão porque escolhi o texto de Vitrúvio. No entanto, qualquer um dos quatro elementos (água, terra, fogo e ar) só são bons na medida certa. Acho que as religiões orientais se baseiam muito nesta ideia de harmonia e equilíbrio: tudo o que é bom tem a sua medida e o seu lugar próprio. Bj!

M: Descobri há pouco tempo este pintor e acho que tem quadros belíssimos. Há muitos no site da Tate Gallery.